Eé depois de um de volta para trás muito difícil (contra o Suns e uma vitória difícil), mas o Los Angeles Lakers (34-29) continua a viver nesta linha entre a ilusão e uma certa prudência. Eles bateram o líder do Oeste (116-104), o Oklahoma City Thunder, com certa solidez e continua reivindicando numa Conferência Ocidental longe da regularidade generalizada. Não, depende das sequências além do campeão Denver Nuggets (eles parecem ser os que mais conseguem ceder o basquete) e o Lakers precisa liderar o caminho mesmo estando longe de posições seguras. As vantagens do trabalho, supõe-se.

LAPRESSE

Porque durante muitas semanas isso não existiu em Los Angeles. Essas declarações inflamadas de LeBron disseram tudo. “Em qualquer noite, podemos vencer qualquer time da NBA, mas em qualquer noite, qualquer time da NBA pode nos dar uma surra.” Qual é o nosso balanço? 24-25. Menos de 50%? “Ah, você acertou”, disse ele há cerca de 15 jogos. As coisas mudaram. E a sequência final de 10-4 muda a dinâmica. Ele é um ás do basquete.

Contra as equipes importantes do No oeste (exceto o Nuggets, que não vence e será muito difícil consegui-lo) o Lakers sobe de nível: 3-1 contra o Oklahoma, 3-1 contra o Clippers e 3-2 contra o Suns.. Há coisas notáveis, ainda que a busca pela regularidade não deva ser opcional. Os novos líderes do Thunder foram punidos por um grande momento de D’Angelo Russell. Fizeram três triplos, viraram o jogo de cabeça para baixo e não conseguiram escapar. Seus 26 pontos (53% TC), 6 rebotes e 3 assistências o colocam em posição privilegiada. Apenas Magic Johnson e Kobe Bryant, todos falando em ouro e roxotenha uma linha de estatísticas como esta acompanhada por cinco ou mais triplos marcados.

LAPRESSE

Foi o dia dele. Todos o procuravam e ele acompanhou um bom Anthony Davis (24 pontos e 12 rebotes) e o sempre correto LeBron James (19+11) com sua finalização vulcânica. Mas era dia de “DLo”. “Ele está tendo um daqueles momentos em que pode arremessar do jeito que pode… em vez de ir para a cesta. É ótimo vê-lo se divertindo. Ele é muito talentoso e precisamos que ele jogue assim. “Está nesse nível”, disse Darvin Ham, técnico do Lakers. Como terceira espada, imbatível se for boa.

Precisamos que o “Dlo” jogue sempre assim

Presunto Dervin

Quase tudo está bem se eles forem bons, e parece que o Lakers se sai melhor com um grande time do que com um time na parte inferior da tabela. Para o Thunder, que voava com Shai Gilgeous-Alexander (ele sempre foi o melhor, mas com 20 pontos estava longe do máximo), a defesa impossibilitou a vida. E o ataque fez o resto. “O mete 30 [Shai] todos, então dificultar as coisas para eles era o objetivo. “Estávamos todos na mesma corda, seguindo a mesma fórmula”, disse o próprio D’Angelo Russell.



Fonte