Apolo Quiboloy

MANILA, Filipinas – A ordem do Departamento de Justiça para abrir casos de abuso sexual e tráfico de pessoas contra Apollo Quiboloy é uma vitória para todas as mulheres que sofreram nas mãos de um líder religioso, disse a senadora Risa Hontiveros na segunda-feira.

Hontiveros, em comunicado, chamou o desenvolvimento “positivo” de “um presente para todas as mulheres durante o Mês da Mulher”.

“Este é um primeiro passo bem-vindo em direção às vítimas e sobreviventes que clamam por justiça, paz e cura”, disse ela.

Hontiveros preside uma audiência no Senado sobre os supostos crimes de Quiboloy.

Apesar da decisão do Departamento de Justiça, Hontiveros disse que a Comissão das Mulheres do Senado continuará a investigar, com apoio legislativo, “décadas de abusos” cometidos por Quiboloy.

“Garantiremos que estas investigações resultem em leis mais fortes para as nossas mulheres, os nossos filhos e os mais vulneráveis ​​entre nós”, disse ela.

Ela também agradeceu ao secretário de Justiça, Jesus Crispin Remulla, por sua ação decisiva no caso, mas acrescentou que o que realmente precisa ser agradecido são as vítimas que corajosamente falaram e testemunharam contra Quiboloy.

A próxima audiência do Senado sobre os supostos crimes de Quiboloy está marcada para 5 de março. A Câmara Alta já havia ordenado que o líder religioso participasse do inquérito.

Hontiveros avisou Quiboloy que ela começaria a invocar o autoproclamado “Filho Nomeado de Deus” com desprezo e o prenderia se ele não cumprisse as diretrizes do Senado.


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.



Fonte