Ex-bispo de Broome Christopher Alan Saunders | FOTO: A página oficial do Facebook da Conferência dos Bispos Católicos Australianos

SYDNEY – Um bispo australiano é acusado de violação e agressão sexual, tornando-se um dos católicos mais antigos do país a ser acusado de crimes sexuais.

O bispo aposentado Christopher Alan Saunders foi preso na Austrália Ocidental na noite de quarta-feira, depois que uma influente investigação interna do Vaticano forçou os detetives de abuso infantil a agirem.

A polícia disse que ele foi acusado de 14 acusações de agressão ilegal e indecente e duas acusações de penetração sexual sem consentimento – o termo legal para estupro.

LEIA: A terrível verdade: abuso sexual infantil na Igreja Católica

O homem de 74 anos, que comparecerá ao tribunal na quinta-feira, também foi acusado de três acusações de “conduta indecente com uma criança” de 16 a 18 anos.

O Arcebispo de Perth Timothy Costelloe, presidente da Conferência dos Bispos Católicos Australianos, disse que as alegações eram “profundamente perturbadoras”.

“É certo, apropriado e até necessário que todas essas alegações sejam minuciosamente investigadas”, disse ele em comunicado.

Documentos judiciais mostram que os supostos crimes de Saunders ocorreram entre 2008 e 2014.

Por mais de 20 anos, Saunders presidiu a Diocese de Broome, uma vasta região costeira no noroeste da Austrália repleta de dezenas de comunidades aborígenes remotas.

Ele deixou o cargo de bispo em 2020, quando as alegações de abuso sexual surgiram pela primeira vez na mídia local, mas manteve o título honorário de “bispo emérito”.

LEIA: Arcebispo australiano condenado por encobrir abuso sexual infantil

A investigação policial inicial não forneceu provas suficientes para apresentar acusações contra Saunders, o que ele nega veementemente.

No entanto, devido a rumores persistentes em torno do padre, o Vaticano lançou a sua própria investigação em 2022, utilizando amplos poderes que lhe foram concedidos pela primeira vez pelo Papa Francisco.

Os poderes “Vos estis lux mundi” – que significa “Você é a luz do mundo” em latim – foram desenvolvidos em 2019 para ajudar a Igreja a investigar alegações de abuso sexual nos mais altos níveis.

As descobertas confidenciais da igreja foram posteriormente compartilhadas com a polícia, que reabriu a investigação.


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.

George Pell, o falecido cardeal australiano e poderoso mediador do Vaticano, foi preso sob acusações de abuso sexual em 2019, mas as suas condenações foram anuladas no ano seguinte.



Fonte