(FOTO DO ARQUIVO DE PERGUNTAS / NINO JESUS ​​​​ORBETA)

MANILA, Filipinas – A Polícia Nacional das Filipinas (PNP) ainda não tem uma política que proíba o seu pessoal de usar o aplicativo de mídia social TikTok, que as Forças Armadas das Filipinas (AFP) afirmam representar ameaças à segurança cibernética.

O chefe da PNP, general Benjamin Acorda Jr., esclareceu que os policiais podem usar o aplicativo para fins privados, desde que não manche o nome da organização.

“Ainda não temos uma política sobre telefones fornecidos pela empresa, mas em relação ao uso privado do TikTok, nossos funcionários estão autorizados a fazê-lo. Contanto que não degrade nosso uniforme, não será um problema”, disse Acorda em entrevista na segunda-feira sobre a emboscada.

“Em relação à questão de segurança levantada pela AFP, também estamos avaliando”, acrescentou.

Na semana passada, o porta-voz da AFP, coronel Francel Margareth Padilla, revelou que a proibição do TikTok está em vigor há mais de um ano para sua organização porque oferece recursos de “espionagem” que podem monitorar atividades de telefones.

Em Outubro de 2023, a AFP disse que estava a procurar formas de expandir a sua principal unidade de cibersegurança para fortalecer a protecção das suas redes contra ataques online comuns.

Adicionou alguns ataques vieram do exterior, mas nenhum passou pelas defesas online.

A declaração da AFP ocorreu após ataques cibernéticos aos sites da Câmara dos Representantes, do Senado das Filipinas, da Corporação Filipina de Seguros de Saúde, da Autoridade de Estatística das Filipinas e do Departamento de Ciência e Tecnologia.


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.



Fonte