Uma mulher é presa no Brasil após atear fogo em um mercado porque o proprietário não a deixou devolver um par de sandálias que havia comprado.

O suspeito de 39 anos visitou uma loja na noite de domingo no centro de Dianópolis e foi flagrado jogando um líquido inflamável em uma lixeira onde o lixo era armazenado.

A mulher derramou o líquido na lateral do prédio, depois voltou para a lata de lixo de metal e ateou fogo na lata de plástico.

Ela quase foi queimada pela vasilha enquanto as chamas se espalhavam sobre ela, e então a jogou em uma lata de lixo enquanto o fogo se espalhava.

Uma mulher de 39 anos foi flagrada pela câmera ateando fogo a uma lata de lixo antes que as chamas engolfassem uma loja próxima na noite de domingo no Brasil.

A polícia informou que a mulher ficou chateada com o dono do mercado, que se recusou a devolver as sandálias que ela havia comprado.  Ela foi presa na segunda-feira

A polícia informou que a mulher ficou chateada com o dono do mercado, que se recusou a devolver as sandálias que ela havia comprado. Ela foi presa na segunda-feira

O corpo de bombeiros informou que o incêndio destruiu 70 por cento do mercado

O corpo de bombeiros informou que o incêndio destruiu 70 por cento do mercado

Um vídeo separado mostra como o dono de uma loja tentou entrar no mercado para recuperar seus pertences pessoais, mas foi afastado por um bombeiro poucos segundos depois que uma enorme bola de fogo irrompeu na rua.

De acordo com o site de notícias brasileiro G1, os bombeiros disseram que o fogo se espalhou por todo o prédio e destruiu quase 70 por cento das instalações, incluindo móveis e bens.

Os bombeiros lutaram contra o fogo intenso por quase duas horas, que se espalhou pela padaria e pelo açougue, mas impediram que ele se espalhasse para uma casa vizinha.

A mulher despejou o líquido na lateral do prédio, depois voltou para a lata de lixo de metal e ateou fogo na lata de plástico.

A mulher despejou o líquido na lateral do prédio, depois voltou para a lata de lixo de metal e ateou fogo na lata de plástico.

Ela quase foi queimada pela vasilha enquanto as chamas se espalhavam sobre ela, depois jogou-a em uma lata de lixo enquanto o fogo se espalhava

Ela quase foi queimada pela vasilha enquanto as chamas se espalhavam sobre ela, depois jogou-a em uma lata de lixo enquanto o fogo se espalhava

A mulher, cujo nome não foi divulgado, foi identificada após uma verificação de câmeras de segurança pela gendarmaria e presa várias horas na manhã de segunda-feira.

O incêndio criminoso ocorreu apenas duas semanas depois que André Chapeta morreu devido a queimaduras que cobriram 92 por cento de seu corpo, depois que sua esposa, Ana Maria Paizaõ, o incendiou em sua loja no Rio de Janeiro.

Uma câmera de vigilância mostrou Paixaõ passando pelo balcão e aparentemente abrindo uma garrafa antes de encharcar o corpo com o líquido inflamável.

Ela então acendeu um isqueiro e colocou fogo no homem.

Chapeta ficou hospitalizado por quatro dias antes de morrer devido aos ferimentos.

Fonte