Nesta foto divulgada pelo Gabinete do Presidente do Paquistão, o Presidente Arif Alvi (à direita) administra o juramento de posse ao recém-eleito primeiro-ministro Shehbaz Sharif durante uma cerimônia no Palácio Presidencial em Islamabad, Paquistão, segunda-feira, 4 de março de 2024. Os legisladores da Assembleia Nacional do Paquistão elegeram Sharif para um novo mandato como primeiro-ministro do país, enquanto aliados do ex-primeiro-ministro preso Imran Khan gritavam em protesto no parlamento, alegando fraude nas eleições do mês passado. (Escritório do Presidente do Paquistão via AP)

ISLAMABAD (Reuters) – Shehbaz Sharif foi empossado como novo primeiro-ministro do Paquistão nesta segunda-feira, depois de ter sido eleito um dia antes em uma sessão parlamentar barulhenta.

Ele ocupou o mesmo cargo de abril de 2022 a agosto de 2023, substituindo o principal rival Imran Khan, que foi forçado a deixar o cargo após um voto de desconfiança. Shehbaz é o irmão mais novo do três vezes primeiro-ministro Nawaz Sharif.

A sua nomeação é controversa devido às eleições parlamentares do mês passado, que os seus oponentes dizem ter sido fraudadas a seu favor.

LEIA: Parlamento do Paquistão dissolvido para realizar eleições nacionais

O partido paquistanês Tehreek-e-Insaf de Khan, PTI, insiste que teve um melhor desempenho nas sondagens, mas o roubo eleitoral e outras irregularidades privaram-no de uma maioria parlamentar.

O partido de Sharif, a Liga Muçulmana do Paquistão, PML-N, não conquistou assentos suficientes para formar um governo, mas entrou em uma coalizão com outros para obter a maioria, abrindo caminho para que ele se tornasse primeiro-ministro pela segunda vez.

Para se tornar primeiro-ministro, obteve 201 votos no parlamento, derrotando o candidato apoiado pelo PTI, Omar Ayub, que recebeu 92 votos.

A cerimônia de posse de segunda-feira ocorreu na capital Islamabad. O presidente Arif prestou juramento.

LEIA: O primeiro-ministro interino do Paquistão prestou juramento durante as celebrações do Dia da Independência

Sharif comprometeu-se a desempenhar os seus deveres e funções com honestidade e lealdade, sempre pela independência do país, “integridade, estabilidade e em nome da unidade”.

Mas a política paquistanesa carece de estabilidade e unidade, e Sharif tem a difícil tarefa de unir os legisladores para conduzir o país em tempos difíceis.

As duas primeiras sessões do parlamento foram caóticas e barulhentas, com a oposição a gritar e a insultar o novo governo por causa das suas queixas eleitorais.


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.

Sharif é o 24º primeiro-ministro nos 77 anos de história do Paquistão.



Fonte