O Palmeiras sofre erros individuais e sofre nove gols em 12 jogos, o que é um sinal de alerta.




(

Foto: Fabio Menotti/Palmeiras/Esporte News Mundo

O Palmeiras sempre entra na competição como claro favorito aos títulos que disputa. É inegável a força ofensiva da equipe e o quanto a equipe tem tendência a aproveitar as chances que cria. No entanto, nesta temporada alguns erros defensivos custaram caro.

No início do ano, o Alviverde disputou 12 partidas e o time perdeu em nove delas. Ou seja, o clube de Abel Ferreira tem uma média de quase um golo por jogo. Por este motivo, foi enviado um sinal de alerta aos jogadores e comissão técnica.

Talvez na fase de grupos esses gols não tenham sido tão importantes na campanha do Palmeiras, mas por outro lado, na próxima fase de mata-mata, qualquer erro pode ter consequências desastrosas. Até porque, fora a final, serão jogos únicos e um deslize pode custar o campeonato.

+ Para saber tudo sobre Palmeirasacompanhe o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook para mim Instagram.

Ainda à procura do equilíbrio certo, o treinador português tentou alterar a linha defensiva de diversas formas. Às vezes ele usava uma formação de três zagueiros, outras vezes uma formação de quatro homens, mobilizando mais meio-campistas e meio-campistas defensivos, preenchendo mais aquela parte do campo.

Isso não se pode negar e não se pode afirmar que muitos dos gols sofridos pelo Palmeiras neste ano são frutos de erros individuais. Vale relembrar as duas mais recentes, a derrota de Weverton para o Corinthians e a derrota de Richard Ríos para o São Paulo.

Assim, além do equilíbrio na própria formação, também fica visível um sinal de alerta para os jogadores, que cada vez mais procuram manter o nível de concentração durante as partidas, evitando assim a eliminação precoce na fase final do Campeonato Paulista.

O Verdão agora terá uma semana de folga para treinar e melhorar ainda mais sua defesa, já que a próxima partida está marcada para o próximo domingo (10/10), contra o Botafogo-SP, na Arena Barueri.



Fonte