O chefe da STV, Simon Pitts, está deixando o negócio após seis anos.

Pitts lidera a emissora-produtora escocesa desde 2018, durante um período difícil assolado pela pandemia de Covid-19 e pela recessão publicitária. Ainda assim, registou crescimento e viu um impulso do seu braço de produção, STV Studios, que agora produz programas de grande orçamento como Apple TV+. Registro criminal.

Ele assumirá uma nova função dentro de um ano e permanecerá na seleção escocesa até então, e eles nomearão um sucessor.

“Simon tem sido um líder notável da STV nos últimos seis anos”, disse o presidente Paul Reynolds. “Como arquiteto da nossa estratégia de diversificação, ele liderou com sucesso a transformação da STV de uma emissora linear em um negócio resiliente de criação de conteúdo e transmissão digital com um futuro emocionante.”

Pitts acrescentou: “Com as mais recentes metas de diversificação da STV totalmente alcançadas, agora é a hora de implementar um plano de sucessão tranquilo e ordenado. Nossa equipe de liderança é muito forte, nossa estratégia é clara e está funcionando. Nossos colegas da STV fornecerão resultados mundiais programas de aula, notícias, digital, todos os dias do ano.” e estão fazendo um excelente trabalho produzindo produtos comerciais, mantendo-se à frente da concorrência e criando bases sólidas para o futuro.”

O anúncio foi feito quando a STV anunciou os seus resultados anuais, que mostraram um aumento de 22% no volume de negócios, para 168,4 milhões de libras, mas um lucro operacional ajustado que caiu 22%, para 20,1 milhões de libras. O ano assistiu a dificuldades económicas adversas, com o mercado publicitário gravemente afectado e a receita total de publicidade a cair 12%, para menos de £100 milhões. As emissoras do Reino Unido também estão reclamando da escassez, com o Channel 4 demitindo cerca de 250 pessoas e a ITV vendendo a BritBox International e um congelamento de contratações.

Fonte