Foto: Reprodução/Rede Furacão – Legenda: Cuca abordou temas delicados, como a acusação que sofreu na Suíça – / Jogada10

Cuca, novo treinador do Athletico, concedeu entrevista à Rede Furacão, falando sobre sua nova empreitada profissional. Ele assumirá o cargo na próxima terça-feira (5 anos), substituindo Juan Carlos Osorio, demitido pelo clube paranaense no último final de semana.

Em sua entrevista, Cuca se referiu ao desafio de comandar o Athletico, principalmente no ano do centenário do clube. No dia 26 de março, o Furacão comemora 100 anos.

“Vou criar o ambiente certo. Temos que criar uma família aqui (no Athletico). Os clubes vencedores são aqueles que têm um relacionamento forte e devemos seguir esse exemplo para termos um ótimo ano. Centenário é uma data importante, um evento especial, exclusivo de cada equipe, e agora é a vez do Athletico. Isto é muito importante e acarreta grande responsabilidade. Quando se aproxima o centenário, naturalmente pensamos em conquistas, títulos e temos que dar tudo de nós. No final da temporada do próximo ano veremos o que alcançamos”, disse ele.

Cuca já recebeu sondagens anteriores do clube

O clube já o abordou, torcedor confesso do Athletico, em outras ocasiões, inclusive no ano passado. Ele tinha prioridades pessoais na época. Agora seu objetivo é retornar à Arena Ligga, mas desta vez como treinador, ficando no banco e liderando seu time preferido.

“É uma honra, uma grande satisfação. Já estive no estádio muitas vezes. Vivi momentos de alegria e tristeza com o Athletico. E assim continuarei, se Deus quiser, vibrando e até chorando de emoção. Estarei lá para o bem ou para o mal. Estou iniciando um trabalho aqui no Athletico, que terá seus altos e baixos. Espero que essa jornada seja longa e que nesse período consigamos conquistar bons resultados e títulos”, disse Cuca.

Sentença suíça anulada

Depois que sua condenação por coação e atos sexuais na Suíça foi anulada, Cuca mencionou a algumas pessoas ligadas ao Athletico que poderia assumir o comando do time. Porém, uma conversa com Petraglia no último domingo confirmou essa possibilidade.

Afinal, Cuca explicou o processo que visava resolver um caso ocorrido em 1989, na Suíça, em 2023.

“Fomos à Suíça, contratamos duas equipes de advogados, uma cível e outra criminal, para buscar um novo julgamento, junto com mais duas equipes no Brasil. O tribunal suíço deferiu o pedido, mas o processo já havia expirado. o prazo de prescrição já havia expirado, o ministério local não conseguiu realizar um novo julgamento. Segundo meus advogados, nossa chance de absolvição era próxima de 100%, o que nos deu confiança. Infelizmente, devido ao prazo de prescrição, um novo julgamento não foi possível. A melhor solução foi anular o veredicto e indenizar. Estamos muito aliviados”, enfatizou.

Em primeiro lugar, Cuca afirmou que a vítima não o reconheceu como um dos autores do crime por três vezes, quando tinha 13 anos. Esta informação foi contestada pelo advogado da vítima, Willi Egloff.

Mencionou ainda que os resultados do ADN encontrado na vítima, inicialmente atribuídos a ele, foram inconclusivos. Um tribunal suíço confirmou que o corpo da vítima continha material genético de Cuca.

“Eu sempre disse a verdade e nunca menti. Há relatos de que a vítima não me reconheceu em três ocasiões, o que consta dos autos. O teste de DNA foi inconclusivo, inconclusivo e não deixou provas em contrário. Estas são questões difíceis. expressar. Não lembro a letra, falo com sinceridade e com sentimento”, explicou Cuca.

O voo do raio no Corinthians

Porém, antes de ser contratado pelo Athletico, Cuca jogou pelo Corinthians. Sua assinatura gerou protestos da torcida do Timão devido à sua condenação por atividade sexual com menor e coação em 1989 na Suíça. Assim, ele deixou o Corinthians uma semana depois.

“Meu último clube foi o Corinthians, infelizmente foi uma estadia curta. Levando em conta as circunstâncias (pressão dos torcedores), decidimos sair. Foi algo que inegavelmente teve um enorme impacto em mim e na minha família. Naquele momento percebi que tinha que resolver esta situação, mesmo que chegasse atrasado. A situação estava estagnada. Pensando bem, deveria ter reagido mais cedo e procurado uma solução”, admitiu o treinador.

Primeiros desafios no Athletico

Cuca chegará ao CT na terça-feira (5) ao Caju para iniciar os trabalhos. Primeiramente, seu primeiro desafio como técnico do Athletico serão as quartas de final do Campeonato Paranaense. No sábado, no Estádio do Café, o Furacão perdeu por 1 a 0 para o Londrina na primeira partida. A revanche acontecerá no domingo (10/10), às 18h30, na Arena Ligga. Para avançar às semifinais, o Athletico precisa vencer por dois gols. Porém, se vencer por um gol, a decisão será na disputa de pênaltis.

“Estarei lá e já tenho um plano de treino, uma visão clara da equipe. Acompanho todas as partidas, estou sempre atualizado, eu e minha equipe. Temos um desafio difícil no domingo, temos que fazer dois gols contra o Londrina e avançar. Vamos trabalhar bem durante a semana para chegarmos preparados no domingo”, finalizou Cuca.

Por fim, o Athletico enfrentará a Copa do Brasil (da terceira fase), o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana de 2024. No dia 26 de março o clube comemorará seu 100º aniversário.

Siga Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram para mim Facebook.



Fonte