As tensões aumentaram na Riverside High School depois que postagens nas redes sociais ameaçaram violência no campus na semana passada.

Os pais dos alunos da Riverside Polytechnic High School estavam ocupados na segunda-feira, com alguns optando por manter os filhos em casa e faltar às aulas.

“Minha filha também não está na escola hoje”, disse Yvette Burnclaw a Shelby Nelson do KTLA 5. “Estou apenas fazendo um uniforme para ela.” Burnclaw ainda não sabe quando retornará a filha à escola.

Houve um aumento da presença policial no campus na segunda-feira, após várias altercações físicas que ocorreram na escola no final da semana passada.

“Na quinta-feira tivemos algumas altercações”, disse Ryan Railsback, do Departamento de Polícia de Riverside. “Então, alguns transbordam para o dia seguinte também.”

As autoridades dizem que as ameaças apareceram online após a luta. Um deles mostra uma arma no banheiro perguntando “quem vai para a escola amanhã?”

A polícia ribeirinha não conseguiu confirmar quem criou e enviou as postagens.

“Não sabemos se a IA criada mostra que alguém está segurando uma arma”, disse Railsback. “Não reconhecemos a pessoa.”

Os funcionários da escola estão a levar a ameaça a sério e a alterar algumas atividades da hora do almoço para evitar novas brigas ou perturbações. Eles também estão trabalhando com as autoridades locais e fornecendo apoio extra na escola esta semana.

O diretor da escola tem mantido contato regular com os pais desde a briga que eclodiu na semana passada. O horário da escola foi alterado, incluindo dois períodos de almoço diferentes, para melhorar a supervisão.

No entanto, os pais preocupam-se com a segurança dos seus filhos. Um pai tirou seus filhos calouros da escola durante a quinta série. Um aluno disse que não deveria ter ido para a aula na segunda-feira, quando tantos de seus colegas não estavam no campus.

“Foi simplesmente chato, havia seis crianças na minha turma”, disse o aluno. “Estou pensando, qual é o sentido de ir hoje?”

A polícia de Riverside afirma que os estudantes envolvidos nas brigas da semana passada enfrentarão acusações criminais.

Fonte