Grupos indígenas e Moro, juntamente com ativistas ambientais e de direitos humanos, realizaram uma manifestação em frente à sede do Departamento de Meio Ambiente e Recursos Naturais (DENR) na cidade de Quezon na segunda-feira, um dia após o 29º aniversário da implementação da Lei de Mineração das Filipinas de 1995 ou Lei da República nº 7.942.

Os grupos exigiram a revogação da lei, que, segundo eles, promove atividades destrutivas de mineração em grande escala e atividades de mineração a céu aberto em terra e em águas costeiras.

LER: Nova esperança para a mineração

“Promulgada pelo ex-presidente Fidel Ramos, a Lei de Mineração liberalizou a indústria mineira filipina para apoiar o crescimento económico do país. No entanto, quase três décadas depois, as montanhas foram arrasadas, os rios ficaram desprovidos de vida e o bem-estar das pessoas foi gravemente afetado”, afirmou Katribu num comunicado. —RUSSEL LORETO


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.



Fonte