Foto de três homens indianos presos em conexão com o suposto estupro e agressão de um casal de turistas espanhóis. | FOTO: Conta oficial X (antigo Twitter) da Polícia da Duma

NOVA DELHI (Reuters) – Três homens indianos foram a julgamento por envolvimento no estupro coletivo de uma turista espanhola durante uma viagem de motocicleta com seu marido, e a polícia está procurando outros quatro suspeitos, informaram relatórios na segunda-feira.

O ataque ocorreu na noite de sexta-feira no leste da Índia, no distrito de Dumka, no estado de Jharkhand, onde o casal estava acampado.

Um total de sete homens são acusados ​​de cometer o ataque brutal.

LEIA: 7 anos após o estupro coletivo em Delhi, os ataques brutais na Índia continuam

“Formamos uma equipe para localizar os suspeitos restantes”, disse à AFP o oficial da polícia local Pitamber Singh Kherwar.

No domingo, três réus foram escoltados ao tribunal com sacos na cabeça por policiais segurando cordas amarradas na cintura. Todos os três foram posteriormente colocados sob custódia.

A espanhola e o marido também compareceram ao tribunal.

“Devemos garantir punições rigorosas”, disse Kherwar, informou a agência de notícias Press Trust of India (PTI) na segunda-feira.

Kherwar disse que uma equipe especial, composta por policiais forenses, foi formada para fazer buscas no local do ataque enquanto outra equipe procurava por mais suspeitos.

LEIA: Padre e outras três pessoas são acusados ​​de estupro e assassinato de menina indiana de 9 anos

“Eles atacam lugares constantemente”, disse Kherwar num relatório do PTI. “Vamos prender os restantes acusados ​​​​em breve.”

De acordo com dados do National Crime Records Bureau, em 2022, foram denunciados em média quase 90 estupros por dia na Índia.

No entanto, um grande número desses casos não é denunciado devido ao estigma em torno das vítimas e à falta de fé nas investigações policiais.

As condenações continuam raras e os casos permanecem presos durante anos no congestionado sistema de justiça criminal da Índia.

Em 2012, o notório estupro coletivo e assassinato de uma estudante indiana apareceu nas manchetes de todo o mundo.

Jyoti Singh, uma estudante de fisioterapia de 23 anos, foi violada, agredida e deixada como morta por cinco homens e um adolescente num autocarro em Nova Deli, em dezembro deste ano.


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.

O crime horrível lançou luz internacional sobre os elevados níveis de violência sexual na Índia e desencadeou semanas de protestos que levaram a uma mudança na lei que introduz a pena de morte para a violação.



Fonte