Manifestantes pró-palestinos interromperam a extravagância “Christmas Carols by Candlelight” da Chanel Nine, arrancando o microfone dos anfitriões.

Durante uma transmissão no Sidney Myer Music Bowl em Melbourne, os apresentadores David Campbell e Sarah Abo foram abafados por gritos de “Palestina Livre”.

Momentos depois, vários manifestantes carregando bandeiras palestinas invadiram o palco e as câmeras fizeram uma panorâmica ampla.

“Enquanto vocês cantam canções de Natal, crianças morrem em Gaza!” uma voz gritou ao microfone antes que a segurança a arrastasse junto com outros manifestantes.

Um atordoado Campbell tentou acalmar a situação tensa enquanto famílias jovens olhavam horrorizadas.

O programa anual ‘Carols by Candlelight’ foi sequestrado por manifestantes pró-Palestina que agarraram o microfone do apresentador para gritar: ‘Crianças estão morrendo enquanto cantam canções de natal em Gaza’ (foto)

“Relaxe, está tudo bem”, disse Campbell. “Todos vão relaxar e se acalmar.”

“Qualquer um pode expressar a sua opinião em voz alta, mas temos crianças aqui. Só queremos ter certeza de que eles estão seguros. Eles estarão de volta aqui em um segundo”, acrescentou, referindo-se aos artistas no palco.

“Este é um momento muito difícil no mundo e estamos sentindo muita dor.”

A segurança e os anfitriões foram elogiados pela forma como lidaram com a provação.

No entanto, muitos telespectadores reagiram duramente aos manifestantes, chamando-o de “desgraça”.

“Um protesto durante canções de Natal é uma escolha interessante, principalmente quando há crianças no palco. Estou muito impressionado com a forma como os anfitriões lidaram com isso”, escreveu uma pessoa no X.

O protesto contínuo segue-se aos protestos palestinos em Melbourne e no Hyde Park de Sydney (foto) pela décima primeira semana consecutiva

O protesto contínuo segue-se aos protestos palestinos em Melbourne e no Hyde Park de Sydney (foto) pela décima primeira semana consecutiva

Outro disse: “Que vergonha tentar arruinar a maravilhosa noite de Natal de todos. Este não é o lugar para tais coisas.

Um terceiro acrescentou: “Sou totalmente a favor que as pessoas expressem suas opiniões lá, mas há um lugar e uma hora, e um evento cheio de crianças não é esse.

“Não tolero nem concordo com o que está acontecendo com pessoas inocentes na Palestina, mas também não concordo com isso.”

Fonte