Rudy Giuliani pediu falência em Nova York com dívidas de até US$ 500 milhões com credores, incluindo Hunter Biden.

O ex-prefeito de Nova York, que liderou o esforço em nome de Donald Trump para contestar os resultados das eleições de 2020, disse que tem ativos avaliados em menos de US$ 10 milhões.

Giuliani estava atolado em meus crescentes problemas jurídicos.

Na sexta-feira passada, ele se viu à beira da ruína financeira quando um júri ordenou que ele pagasse US$ 148 milhões em indenização aos funcionários eleitorais Ruby Freeman e Shaye Moss por alegações de que tentaram fraudar a votação de Joe Biden.

Em Agosto, no meio de vários processos judiciais, admitiu ter “problemas financeiros” e disse que não tinha dinheiro suficiente para se defender.

Rudy Giuliani pediu falência em Nova York depois de ser condenado a pagar US$ 146 milhões em danos a dois funcionários eleitorais da Geórgia

Documentos judiciais mostram que Giuliani apresentou a petição no Tribunal de Falências dos EUA para o Distrito Sul de Nova York.

No processo, Giuliani disse que tinha passivos que variavam de US$ 100 milhões a US$ 500 milhões e ativos que variavam de US$ 1 milhão a US$ 10 milhões.

O processo também lista o filho do presidente Joe Biden, Hunter Biden, como credor, sem especificar o valor que Giuliani lhe deve.

Hunter Biden processou Giuliani em setembro por violar sua privacidade por meio de dados supostamente baixados de seu laptop.

Giuliani também listou a Receita Federal e o Departamento de Tributação e Finanças do Estado de Nova York entre seus credores.

MAIS PARA ASSISTIR



Fonte