Ele foi “brutalmente espancado no crânio”, e não baleado. Quem disse isso foi seu neto, autor do livro Frederico Delgado Rosa Humberto Delgado, Biografia do General Sem Medo, em entrevista ao PÚBLICO há nove anos, cinquenta anos depois de um homicídio que ainda hoje suscita dúvidas. O autor acrescentou ainda que Portugal vive “numa mentira que foi deliberadamente fabricada pelo Tribunal de Santa Clara no seu acórdão de 1981 que expurgou toda a hierarquia superior da PIDE”. Na verdade, os contornos que rodearam a morte do general ainda são objecto de disputa e debate.

Fonte